24 de jun de 2010

Tango... A dança da Paixão!



O Tango mescla o drama, a paixão, a sexualidade, a agressividade, é sempre e totalmente triste. Como dança é "duro", masculino, sem meneios femininos, a mulher é sempre submissa. Nas letras é quase sempre o homem quem sofre por amor, mas a culpa é sempre da mulher. O ritmo é sincopado, tem um compasso binário. A síncope é de uma nota tocada no tempo fraco que se prolonga até um tempo forte, o que movimenta a música e desloca acentuação do ritmo.


"Agarrou-a. Prendeu-a entre os braços, puxou o corpo feminino contra si. Olhou-a profundamente e disse-lhe com o silêncio do olhar, a paixão que lhe corroía as entranhas. Ela sentiu o gume aguçado do calor da boca que quase roçava a sua. Diluiu os seus dedos nos dedos masculinos. Entrelaçou a sua perna na que a conduziria.
Forte. Poderoso. O som que entoava dentro e fora dos corpos. Sensualidade e ritmo. Calor crescente. Voluptuoso.
Ele comandou o circular no soalho envernizado. Ela deixou-se levar. Com a segurança de que quem comandava aquela paixão era ela. Com a sua sedução. O corpo vermelho de formas delineadas pelo olhar masculino.
O porte. A garra. A paixão. Os gemidos de um acordeão argentino. E o rodopiar de pernas entrelaçadas que se acolhem no erotismo de cada passo.
Desejo. Olhar que transpira e respira sentidos alucinados.
Corpos envolvidos na dança sensual. O soalho reflecte a excitação em cada instante. E ri-se daquele bailado que culminará na rendição. Dele. Dela. De ambos?
Acorde final. Troca de olhares.
Ele olha-a, dominador. Ela seria dele.
Ela baixa o olhar.Submissão. Sabia que ele seria dela.
E a posse mútua embeleza coreografia no quase beijo almejado com veemência.
Aplausos interrompem o idílio, acordam do sonho! "



"Trago a vida agora calma,
Um tango dentro d'alma,
A velha história de um amor,
Que no tempo ficou...♪ "

Nenhum comentário:

Postar um comentário