16 de fev de 2011

O Bicho

Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava
Engolia com voracidade 

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato

O bicho, meu Deus, 
era um homem.

Manuel Bandeira, O Bicho


    -As desigualdades estão diante dos nossos olhos, porém, nos tornamos tolerantes a isso. Passamos a enxergá-las como algo, absolutamente normal. Sem qualquer ligação com o que produzimos em nosso convívio social. “ O homem é produto do meio’’, mas encaramos, o que acontece a ele, como fruto do acaso ou algo acidental... Votamos mal, esquecemos rápido e trazemos com isso, desemprego, concentração de renda... Gerando assim, mesmo que inconscientemente, uma boa parte dos males que nos rodeiam..
Até quando.. até quando?

4 comentários:

  1. Hoje vi quase isso. Fui visitar minha mãe e na parada do ônibus havia um homem deitado dormindo.
    Eu olhava pra ele e me perguntava como uma pessoa chega a este ponto?
    Não sei a resposta.

    ResponderExcluir
  2. Tristezas que temos que encarar. A realidade é mesmo muito cruel. O blog é instigante e curioso, e...de muito bom gosto. Parabéns! Voltarei com mais tenpo. Bjkas.

    ResponderExcluir
  3. Seu blogue é um encanto, parabéns, te seguindo sua visita também será uma alegria!
    o texto é muito a cara do nosso Brasil infelizmente..quando teremos um basta!!o que estou fazendo para mudar isso?Essa é a pergunta que devemos fazer para nós mesmos!

    Shalom

    http://nairmorbeck.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Agradeço a todos pelo carinhoo.. na vdd seus comentários me incentivão a escreverr..
    Obrigado a todos*-*

    ResponderExcluir